quarta-feira, 6 de novembro de 2013

A Vida Eterna

"A voz dela zurziu o ar como o sibilo das serpentes da deusa Némesis, e acusou o velho conde de assassínio frio e premeditado, pior, de vampirismo da mais negra espécie, pois não tinha escrúpulos de tentar conseguir a vida carnal eterna à custa de sorver as vidas dos que executassem a música maldita e que seriam transferidas para ele... Concluiu perguntando quantas vidas estaria ele disposto a sacrificar antes que alcançasse a imortalidade...e que imortalidade?" 

António de Macedo, A Sonata de Cristal, Editorial Caminho, Lisboa, 1996.


Dante Gabriel Rossetti, A Sea Spell, 1877.

Sem comentários:

Enviar um comentário