terça-feira, 5 de novembro de 2013

Poesia III- Herberto Helder

Lugar

"O pão de aveia, as maças no cesto,
o vinho frio,
ou a candeia sobre o silêncio.
Ou a minha tarefa sobre o tempo.
Ou o meu espírito sobre Deus.
Digo minha vida é para as mulheres vazias,
as mulheres do campo, os seres
fundamentais
que cantam de encontro aos sinistros
muros de Deus.
As mulheres de ofício cantante que a Deus mostram
a boca e o ânus
e a mão vermelha lavrada sobre o sexo.
Espero que o amor enleve a minha melancolia.
E flores sazonadas estalem e apodreçam
docemente no ar.
E a suavidade e a loucura parem em mim,
e depois o mundo tenha cidades antigas
que ardam na treva sua inocência lenta
e sangrenta.
Espero tirar de mim o mais veloz
apaixonamento e a inteligência mais pura.
- Porque as mulheres pensarão folhas e folhas
no campo.
Pensarão na noite molhada,
no dia luzente cheio de raios.
(...)"

Herberto Helder, Oficio Cantante - Poesia Completa, Assírio e Alvim, Lisboa, 2009.

Charles C.Curren, 1861-1942.

Sem comentários:

Publicar um comentário