segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Poesia I- Nuno Júdice

Manhã

Estar contigo ao acordar, ver como
se abrem as tuas pálpebras, cortinas
corridas sobre o sonho, sacudir dos
teus lábios o silêncio da noite para
que um primeiro riso me traga o dia:

assim, amor, reconheço a vida que
entra contigo pela casa, escancara
janelas e portas, deixa ouvir os pássaros
e o vento da manhã, até que voltas
para junto de mim, e tudo recomeça.

Nuno Júdice, Pedro, Lembrando Inês, Pub. Dom Quixote, 2001.




Sem comentários:

Publicar um comentário